Biblioteca

Artigos e Trabalhos

Lendas Para o Ano Novo

Ir∴ Celso Negrão Gonçalves
A∴ R∴ L∴ S∴ 31 de Março Nº 152

À G∴ D∴ G∴ A∴ D∴ U∴


Dois garotos, muito amigos, brincavam e interagiam, conviviam com os animais e com a natureza, sabiam apreciar sua igualdade, muito mais que as diferenças. Um dos meninos era o filho do dono da fazenda onde eles moravam, vivia numa casa grande, luxuosa e confortável, usava boas roupas, tinha os melhores brinquedos e evidentemente tinha acesso a muitas coisas que a riqueza do pai podia comprar.

O outro menino era o filho do empregado mais humilde da fazenda, um lavrador, que realizava as tarefas braçais e tudo que era desprezado pelos demais trabalhadores. Vivia com sua família numa casa muito pequena e pobre, sem nenhum conforto, nenhum luxo e aparentemente nenhuma possibilidade de mudar a situação.

Diariamente as duas crianças se encontravam para brincar ao pé de uma belíssima montanha que ficava perto das casas dos meninos, o filho do lavrador era muito querido pelo filho do patrão, O amigo tinha uma característica marcante, que até mesmo uma criança conseguia notar. Era seu bom humor e sua alegria. Aquele menino parecia viver no paraíso, tamanha a sua alegria, especialmente pelas manhãs, ele sorria, assobiava, cantava e deixava intrigado o filho do fazendeiro que se perguntava:
- Como alguém que vive com tanta pobreza pode ser tão alegre?

Um dia, o menino rico tomou coragem e perguntou:
- Pedrinho, você é tão pobre e mora numa casa tão feia, seu pai é mero empregado do meu, como é que você consegue ficar tão feliz?

O menino coçou a cabeça, olhou para o amigo e disse:
- Olha João, é um segredo, mas você vai me prometer que não vai contar a ninguém, senão meu pai vai ficar muito triste comigo.

O outro menino logo concordou em guardar o segredo, insistindo mais uma vez para saber o motivo de tanta alegria de quem aparentemente não tinha razão para ser feliz.
- Me conte logo. Vai... Disse o menino filho do fazendeiro.

Pedrinho olhou para a montanha, seus olhos brilhavam e quase não podia conter a emoção, olhou então para o amigo e contou o grande segredo:
- Sabe João, está vendo a montanha?
- Sim, respondeu o menino rico, vejo seu pai subindo a montanha todos os dias para trabalhar na plantação. - Pois é, meu amigo, meu pai me contou que na verdade ela está construindo uma casa grande e bonita atrás da montanha e que logo nós vamos morar lá.

O menino rico percebeu que pai do seu amigo na impossibilidade de ver um horizonte melhor para si e sua família, deu ao filho uma razão para sorrir, deu-lhe esperança...

O filho do fazendeiro à noite, no jantar, contou a história ao pai, este ouviu atentamente e disse que no dia seguinte daria uma resposta ao menino.

No dia seguinte o fazendeiro chamou o lavrador e os meninos amigos para atravessar um rio, no barco havia dois remos, num dos remos estava escrito esperança e noutro determinação. O lavrador perguntou então ao fazendeiro:

- O que significa isto?
O fazendeiro nada lhe respondeu, apenas pegou o remo da esperança e remou com ele somente. O barco ficou girando em torno de si mesmo e não saia do lugar. Depois ele trocou o remo e a mesma coisa aconteceu.
Logo depois, o fazendeiro pegou os dois remos e moveu o barco que suavemente foi deslizando para o outro lado da margem.

Quando lá chegaram, os meninos amigos curiosos perguntaram, simultaneamente, ao fazendeiro:
- O que o Senhor quis mostrar com esta história Pai? Falou o filho do fazendeiro.
- É Senhor José, o que o senhor quer nos ensinar? Falou o filho do lavrador.

O Fazendeiro respondeu:
- Meninos e caro amigo Pedro, hoje eu quis mostrar a vocês que a esperança é algo maravilhoso, pois faz com acreditemos que o amanhã será melhor que hoje. Agora ela sozinha não nos tira do lugar, do mesmo modo é a determinação. De nada vale uma das duas somente, pois somente com uma delas não saímos do lugar também. Agora se sonharmos, tivermos esperança e aliamos a ela a determinação, a persistência, com certeza chegaremos aonde queremos ir.  
- Assim meninos e caro amigo Pedro, não basta ter apenas ter esperança é preciso ter determinação também, para não ficarmos sem sair do lugar, girando, girando, girando...  
- Amanhã começaremos a planejar como será sua casa meu amigo Pedro e Pedrinho atrás da montanha.

Todos se abraçaram e ficaram muito felizes com aquela ideia.

Esta história foi adaptada de duas lendas judaicas, espero que ela mostre a você que não basta ter esperança apenas no ano que está chegando, você precisará saber aonde quer chegar e para isto precisará ter muita determinação.

Feliz Ano Novo a todos!